Inkas
Estratégias de marketing
9 estratégias de restaurantes para você gastar mais

Eu não sei você, mas eu adoro descobrir coisas desse tipo. Revelam muito sobre como nosso cérebro funciona. Outro dia escrevi sobre  8 vezes em que você caiu em uma estratégia de marketing (e vai continuar caindo) e o artigo bombou. Depois escrevi sobre  A proporção áurea, o neuromarketing e as escolhas que o nosso cérebro faz.

 

Este final de semana assistindo ao programa “O mundo é dos espertos” descobri estratégias usadas por restaurantes que fazem você gastar mais. Veja algumas delas:

1) Garçom muito simpático

Se o garçom é sorridente e simpático, ponto pro restaurante. Em um teste feito pelo programa, o garçom estrategicamente simpático faturou mais gorjetas e também vendeu mais pratos. Este garçom se inclinou ao cliente, mantendo contato visual próximo e na mesma altura, parecendo mais acessível. Recebeu mais gorjetas do que o outro, que não fez nada disso.

Do lado do cliente, a estratégia de ser muito simpático com o garçom lhe rendeu um atendimento superior, pois o garçom criou empatia e fez questão de servi-lo melhor. Enviar um bilhetinho ao chefe elogiando a comida lhe rendeu uma sobremesa e um café grátis. É que quase ninguém se lembra de elogiar o chefe, que fica escondido na cozinha.

2) No topo, o prato mais caro

Em seguida um prato um pouquinho mais barato, mas que rende mais ao restaurante. Voilá! O cliente vai pedir este segundo, que é mais rentável do que o primeiro, mais caro. Isso acontece porque o cérebro compara imediatamente.

Colocar o prato que querem vender no canto superior direito é outra estratégia, pois é aonde os olhos das pessoas focam primeiro.

Também oferecem tipos diferentes de porções e geralmente o cliente não sabe o tamanho delas, então não consegue comparar. Ele assume pra si mesmo que a menor porção tem preço mais atraente, mas a verdade é que o restaurante realmente queria vender esta opção, usou a porção maior apenas para existir um ponto de comparação, e era mais cara.

Menus com muitas opções também confundem. Restaurantes espertos trabalham com no máximo 6 opções de pratos por categoria.

3) Se o cliente pedir opinião, descreva o prato com empolgação

O teste mostrou que quando o garçom sabe descrever o prato e o descreve com empolgação, o cliente aceita a sugestão. E a estratégia é fazer isso com o prato do dia, por exemplo, geralmente baseado em um ingrediente que o local comprou em quantidade ou que logo vai estragar.

Vale também descrever com empolgação no cardápio, incluindo características como “textura delicada”, ou “sabor frutado”. Esses vendem até 27% mais. Só tome cuidado pra não exagerar. Uma vez fui a um restaurante e me empolguei com um prato anunciado assim “tenro, delicioso e suave filé ao ponto repousado em uma cama de pupunha e rodeado de um mix de farinhas especiais de diversas regiões do Brasil”. Na prática decepcionei quando chegou um pedaço de carne com palmito e farofa.

4) Sem sinal de R$

O teste também mostrou que cardápios que não usam cifrão e apresentam o preço do tipo “8”, logo abaixo do nome do prato, parecem ser atrativos ao cliente. De acordo com uma pesquisa da Escola de Administração Hoteleira da Universidade de Cornell, os hóspedes que recebem um menu sem cifrões gastam significativamente mais do que aqueles que recebem um menu com eles. Funciona também não usar números quebrados, como 9,99, que remetem à falta de qualidade. Usar 9,95 ou 9 é mais eficiente.

5) Bebidas dão um belo lucro

É por isso que insistem para que você pela uma bebida, às vezes mais de uma vez. É que elas aumentam e muito o faturamento do restaurante.

6) Entregar a conta rápido

Depois de um belo atendimento, selam com chave de ouvo. A conta é entregue bem rápido, para complementar a experiência positiva do cliente. De acordo com o teste, mesmo um belo atendimento, mas seguido de demora para entregar a conta ao cliente, é o suficiente para estragar tudo e fazer o cliente não dar gorjeta.

7) Uma carinha ao lado da conta

Colocar uma carinha feliz ao lado do valor da conta também mostrou ajudar garçons a receberem mais gorjetas.

8) Primeiro, a sobremesa

Após terminar de comer a estratégia é oferecer uma sobremesa. Se o cliente disser não, ele diz “e um café, que tal?” A chance do cliente aceitar ao menos o café é infinitamente maior, pois ele é mais barato que a sobremesa, mas igualmente lucrativo. Se realmente não quiser a sobremesa, pelo menos vai lucrar mais um pouquinho com o café.

9) Música clássica para fazê-lo se sentir rico

Dessa você vai rir – e concordar. Música clássica faz o cliente se sentir rico e gastar mais. E quem comprovou isso foi o centro de psicologia da Universidade de Leicester. Já música pop os fez gastar 10% a menos em suas refeições.

Interessante, né?

Flávia Gamonar
posts 76
words/post 1510
media 180
comments 1
visits 121674

Leave a Comment

Name*
Email*
Website