Inkas
Livros
Como checklists podem levá-lo ao sucesso e evitar erros

O livro Checklist, de Atual Gawande, trouxe à tona algo que eu já praticava de alguma forma: a importância do estabelecimento de checklists para garantir a melhoria de processos, atividades e conteúdos. Eu vejo que antes os meus checklists eram mais mentais e em alguns casos eles continuam sendo assim. Mas depois de ler o livro passei a fazer checklists também no “papel” (ou de forma digital).

Hoje, em qualquer atividade que eu precise fazer, até mesmo em minha vida pessoal, o uso do checklist já se tornou automático na maioria dos casos e assim eu consigo otimizar o meu dia. Um dos exemplos é sair andando pela casa e no caminho ir resolvendo o que preciso: recolho peças fora do lugar e as redistribuo de forma otimizada, assim não preciso voltar ao mesmo lugar diversas vezes por exemplo, ou mesmo quando traço um caminho que preciso fazer ao dirigir de modo que eu consiga resolver assuntos considerando suas prioridades e melhores trajetos ou horários.

Atual Gawande é um cirurgião experiente e também colunista do The New Yorker e se destacou ao escrever sobre problemas e desafios da medicina moderna no livro “Checklist: como fazer as coisas benfeitas”.

O livro Checklist, parte de relatos de cirurgias de risco para refletir sbre a forma como os profissionais lidam com a complexidade crescente de suas funções.

De acordo com Gawande existem erros de ignorância, que acontecem por não se possuir o conhecimento necessário para realizar algo e os erros de inépcia, que ocorrem quando não fazemos bom uso do conhecimento que temos sobre um assunto. Para o autor, criar listas de verificação viabilizam algumas atividades complexas.

Em Checklist existem alguns relatos interessantes sobre a área médica. Um deles conta que há quase vinte anos, cientistas isralenses publicaram um estudo em que engenheiros acompanharam o atendimento a pacientes em UTIs durante um período de 24 horas e descobriram que naquele período precisavam em média de 178 intervenções, desde a administração de medicamentos à sucção de pulmões e que todas elas envolviam riscos. O tratamento intensivo só é bem-sucedido quando os efeitos benéficos prevalecem sobre os prejudiciais, o que nem sempre é fácil de ocorrer. O fato de ficar apenas insconciente em cima de uma cama por alguns dias já é perigoso, pois os músculos se atrofiam, os ossos perdem massa… São necessárias várias ações para estimular o paciente. Um enigma da assistência médica moderna: o médico se depara com um paciente em estado gravíssimo, para ter alguma chance de salvá-lo é necessário não só ter os conhecimentos certos como também realizar corretamente cerca de 178 tarefas diárias.

Gawande conta que o uso de checklists mostrou-se benéfico inclusive para decolagens, pois com esta lista em mãos os pilotos verificavam recomendações indispensáveis que todos os pilotos sabiam executar, como verificar a desativação de freios, o funcionamento dos instrumentos e o fechamento das portas. Com um checklist em mãos pilotos do Exercíto americano que comandaram um modelo 299 por cerca de milhões de quilômetros o fizeram sem nenhum acidente sequer.

Muitas de nossas atividades cotidianas já entraram no esquema dos checklist, como é o caso dos socorristas, dos programadores, dos gestores financeiros, entre outros, pois são tarefas complexas demais para serem executadas de maneira confiável apenas com base na memória.

Em ambientes complexos os profissionais enfrentam duas dificuldades: uma delas é a falibilidade da memória e da atenção humana e a outra, igualmente traiçoeira, surge quando as pessoas enganam a si mesmas achando que podem suprimir passos, mesmo quando se lembram deles.

Checklists podem fornecer proteção contra falhas deste tipo. Gawande  conta que passou a usar checklists em suas cirurgias e procedimentos médicos e notou que com essa adoção foram detectadas alergias e remédios até então ignorados, problemas com equipamentos, confusões sobre medicamentos, erros nos rótulos de material para biopsia, entre outros, e assim melhorou o planejamento de sua equipe e as condições para operar os pacientes. Em um dos casos um único item foi capaz de salvar a vida de um de seus pacientes durante uma cirurgia. O processo de checklist ajudou a estabelecer uma disciplina e uma rotina no dia a dia dele e de sua equipe.

Checklists podem ser implantados na rotina de diversas áreas e equipes. Na minha equipe estamos preparando um checklist para garantir que conteúdos que produzimos estejam dentro dos parâmetros que estabelecemos como de qualidade.

Os checklists devem ser preparados de acordo com o tipo de atividade e necessidades ou objetivos, e podem ser continuamente melhorados e atualizados. Outro benefício dos checklists é que além de criar uma disciplina, mesmo que as pessoas envolvidas sejam substituídas ou que a equipe receba novos integrantes, eles terão um norte para prosseguir com o trabalho, o que evita a necessidade de outros tipos de treinamentos.

Texto próprio baseado em informações do livro abaixo referenciado.

Referência:

Gawande, Atual. Checklist: Como fazer as coisas benfeitas. Rio de Janeiro: Sextante, 2011.

Flávia Gamonar
posts 74
words/post 1535
media 176
comments 1
visits 114113
1 comment
  • Rosemeri silva
    dez 07, 2015 (18:55)

    Olá!
    Adorei esse conteúdo tem tudo a ver com o que eu faço na minha empresa, tem chek list pra tudo, pra documentos, manutenção das maquinas , equipamentos e materiais. funcionara muito bem e como o texto fala não confiar somente na memoria que esta tudo ok e sim, confirmar no papel, isso nos traz memorias de um ano de trabalho evitando erros e custos desnecessários além da perda de tempo que seria no meu caso o retrabalho, não tenho mais retrabalho, tenho check list!

    abraços,
    Sou Rosemeri
    Gestora de contratos
    campo Grande MS

Leave a Comment

Name*
Email*
Website