Inkas
Eventos de marketing
Vou palestrar no RD Summit, em Florianópolis

Há um ano eu estava em Florianópolis participando do RD Summit, na época um dos maiores eventos de marketing e vendas do Brasil (hoje da América Latina). Eu estava lá sentadinha, como qualquer outro participante. Havia sido contratada por uma empresa há poucas semanas, depois de amargar seis meses sem emprego e completamente perdida sobre o que faria da vida após ter sido demitida da empresa na qual trabalhei por alguns anos.

Enquanto assistia as palestras só conseguia ficar maravilhada com tanta coisa que estava aprendendo e, então, petulantemente eu disse pra mim mesma que no próximo ano eu estaria lá para palestrar. Eu não sabia como isso aconteceria e tinha até vergonha de contar pra alguém sobre esse desejo, afinal, quem era eu para querer isso?

Até 2014 minha rotina era engessada e eu achava que minha vida era aquilo somente: contratada de uma empresa, trabalhando das 9 às 18h, sem enxergar nada além daquilo. Em novembro daquele ano eu fui demitida e fiquei seis meses sem emprego e sem saber o que faria da vida. Cheguei a desistir da minha área, tentei vender roupa e até montei uma confeitaria em casa. Nada deu certo e vi meu mundo cair. Felizmente, uma amiga indicou uma vaga de emprego na área de marketing e eu finalmente voltei ao mercado de trabalho, naquela época eu desconhecia o poder do LinkedIn e achava que era apenas um currículo virtual, hoje sei que não é só isso.

Já empregada novamente, voltei a estudar e ler bastante e comecei a escrever no LinkedIn. Foi aí que eu vi tudo mudar.

Os primeiros artigos que escrevi não passavam de cem visualizações, até que eu decidi fazer um outro artigo um pouco mais humano, mais real, contando a história da minha demissão. Abri o Pulse e então comecei o “O que eu aprendi com minha primeira demissão“. Desloguei e fui trabalhar. Horas depois me surpreendi com a quantidade de visualizações e comentários, entendi quantas pessoas haviam passado por algo parecido e descobri que eu podia falar com uma quantidade enorme de gente por meio da ferramenta. Descobri ainda que se o artigo fosse considerado bom pelo LinkedIn, ele poderia ser destacado em um de seus canais e que isso contribuía para uma explosão de visualizações.

Semana a semana eu escrevi diversos artigos compartilhando um pouco do que eu sabia, do que eu estudava e lia e de minhas experiências no mundo do trabalho. Vi artigos meus chegarem a 1.5 milhões de visualizações nesse período e acho que virei uma espécie de escritora de LinkedIn.

Hoje, um ano e pouco depois eu me surpreendo com o resultado disso. Construí uma vitrine profissional e já são quase 100 mil seguidores, que gosto de ressaltar sempre que não são números, são pessoas. Quase 100 mil pessoas que dizem gostar de ler o que escrevo. Eu era apenas uma pessoa comum e escondida antes de fazer isso, mas escrever mudou meu jeito de trabalhar, me trouxe convites para palestras e aulas, me levou a várias cidades, me trouxe muitos amigos novos e hoje eu sou professora, tenho minha própria empresa e estou cursando doutorado, na qual eu me dedico a estudar credibilidade e engajamento de textos em mídia digital. Isso é marketing pessoal, isso é marketing de conteúdo, não tenha vergonha de fazer.

Networking e imagem profissional devem ser construídos e nutridos o tempo todo, não apenas quando você está sem emprego e tentando voltar ao trabalho.

Há um ano eu disse pra mim mesma que no próximo ano eu estaria naquele evento palestrando e hoje conto pra você que esse dia chegou. Eu vou palestrar no maior evento de marketing e vendas da América Latina, o RD Summit, que acontece nos dias 3 e 4 de novembro em Florianópolis e vou contar mais sobre minha história no LinkedIn e a produção de artigos.

Em 2016 eu pude palestrar em tantos lugares legais. No Newtorking Conference eu falei sobre minha história no LinkedIn e foi incrível. No Fórum Eventos falei sobre marketing para eventos. No Social Media Week eu abordei estratégias para produção de conteúdos. E nos vários outros eventos e faculdades em que estive foi um prazer compartilhar um pouco do que aprendi nesse tempo.

Compartilho essa história para dizer que cenários mudam, que sofrimento e perda de rumo não é pra sempre, que você pode mudar completamente sua vida se você se posicionar para isso. Acredite 😉

Flávia Gamonar
posts 76
words/post 1510
media 180
comments 1
visits 121680

Leave a Comment

Name*
Email*
Website